terça-feira, 27 de agosto de 2013

Estalo

Estalo, estalinho, estalado.
Beijo gostoso, safado, roubado.
Sorrisos, parquinho, segredo sagrado.

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

O amor está sempre comigo. E isso eu aprendi.

Aprendi que amo, mesmo quando acho que não.
Aprendi, mesmo a duras penas, que amo. E sou amado.
Aprendi que o amar não é o encontrar. É a busca, o buscar.
Aprendi que o amar alguém não é só aquele querer bem, bem-querer, que arde sem se ver. É aquele sempre-bem-querer, que não importa a situação. Bem, perto, longe ou mal. Mesmo que estes últimos sejam um pouco (mas só um pouco) sofridos.
Aprendi que para amar e ser amado, o outro não deve ser seu objeto de felicidade. O outro deve ser outra felicidade a se somar com a sua.
Aprendi também que com o amor dos outros, tudo é fácil. E que com o nosso, só funciona se a gente correr atrás.

Estou estudando esse tal de amor. Mesmo não sendo matéria para se estudar, mas para ser experimentada.

terça-feira, 13 de agosto de 2013

GEt oVEr!

É bom acordar bem consigo mesmo. Apreciar o canto dos pássaros, o sol batendo na janela, e até mesmo aquela quase insuportável dor de estômago que fez do seu sono, turbulência. É incrível acordar bem e descobrir que está livre de um sentimento sem reciprocidade. Descobrir que está livre daquele espinho na pele, da bolha no pé. Dois meses de pequenas angústias e um, enfim, de superação. E por falar em superar, a hora é essa (até já passou, pra falar a verdade), de tirar da vida o que incomoda e ficar só com o que é bom. É isso que eu tô fazendo JÁ FIZ.